Posts com a Tag ‘Meio Ambiente’

Mais uma vez a OZ Engenharia em parceria com a LLBC inovaram com uma árvore solar fotovoltaica junto ao Caminho do Gol em Porto Alegre.

Com objetivo de atender requisitos de sustentabilidade solicitados pela FIFA, junto aos jogos da copa, foi elaborada uma ação de Exposição de Árvore Solar Fotovoltaica que transforma a energia do sol em energia elétrica limpa e renovável, para ser utilizada como sistema de sinalização e ponto de iluminação local, com serviço à população de recarga de baterias de celular, câmeras fotográficas digitais. A árvore solar está instalada na esquina da Av. Borges de Medeiros com a Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, próximo ao espaço reservado das estruturas consulares provisórias (contêineres) localizados na Estação Praça Isabel, a Católica de Espanha, no trajeto que a Prefeitura de Porto Alegre denominou CAMINHO DO GOL, durante a Copa do Mundo de 2014.

A Árvore Solar com formato de Araucária, tem as dimensões 4,40m de altura, totalizando 520watts/hora, cuja energia é armazenada em um conjunto de baterias internas à árvore. Estas baterias fornecem a carga para iluminação noturna local e também permitem carregamento de celulares na própria árvore através de cabo espera universal.

Um CICLOMOTOR Elétrico, fabricado pela LLBC, estará à disposição da SECOPA, para agente autorizado, como demonstração e para ser usado nas rondas de fiscalização no CAMINHO DO GOL durante os dias de realização dos eventos. O veículo é totalmente elétrico, não gera ruído e não gera gases de efeito estufa, podendo ser carregado em uma tomada comum ou na própria árvore que é carregada com energia solar.

A Árvore Solar, bem como o Ciclomotor Elétrico, ficarão em exposição no período de realização da Copa, de 12 de junho a 13 de julho de 2014. Após essa data, a Árvore será deslocada para Lajeado, junto a Universidade UNIVATES.
A ação foi desenvolvida pelas empresas LLBC e OZ Engenharia do TECNOPUC com patrocínio da UNIVATES e apoio da SECOPA da Prefeitura de porto Alegre.

Entrevista concedida pelos engenheiros Fábio Rahmeier (OZ Engenharia) e Eduardo Bellanca (LLBC) ao programa Cidadania da TVE sobre métodos e soluções ecológicas para o tratamento de água. A instalação da OZ engenharia em parceria com a LLBC empregou tecnologias de membranas de microfiltração, ozônio e osmose reversa, para transformar a água do Arroio Dilúvio contaminada com esgoto, em água potável. Todo o sistema funciona com a energia fotovoltaica gerada por uma árvore solar.

 

Evento semana da água 2013 – OZ Engenharia, transformando esgoto em água potável.

No dia 11 de outubro de 2013 a OZ engenharia de ozônio realizou a exposição do Sistema Conceitual de Tratamento de Água – Transformando Esgoto em Água Potável com Sustentabilidade. O evento fazia parte da Programação Oficial da XX Semana Interamericana da Água e XIII Semana Estadual da Água, promovida pela ABES-RS, que nesta Edição tinha como tema Cuidar do arroio é proteger a água.

Árvore solar utilizada para iluminar e gerar energia no evento

Dentro desta temática está o Projeto Dilúvio Azul, que prevê ações de mobilização e conscientização nas diversas comunidades localizadas na bacia do Arroio Dilúvio. Um dos pontos de maior visibilidade desse projeto foi a iluminação das fachadas dos prédios localizados ao longo da avenida Ipiranga com focos de luz AZUL.

A instalação da OZ engenharia empregou tecnologias de membranas de microfiltração, ozônio e osmose reversa, para transformar a água do Arroio Dilúvio contaminada com esgoto, em água potável. Todo o sistema funciona com a energia fotovoltaica gerada por uma árvore solar. A exposição estará iluminada por protótipos de poste de iluminação urbana inteligente e ficará exposta até o dia 18 de outubro, no turno da tarde no Tecnopuc.

Em 2013 a Semana da Água tem significado especial: são duas décadas de uma das maiores ações de mobilização da sociedade gaúcha, sendo vista em nível internacional como referência, modelo e exemplo de defesa da água.

Como funciona o sistema da OZ Engenharia:

A água do Dilúvio foi captada através de uma bomba submersa (3.000 l/dia) e enviada para um tanque onde passaou por membranas de micro filtração. Após esta etapa, a água foi desinfetada com o uso de um gerador de Ozônio, um dos oxidantes mais potentes que existe. Já nesta etapa, apesar de ainda não ser potável, a água sai desodorizada e filtrada podendo ser utilizada em casos como irrigação de jardins ou limpeza de calçadas. No próximo e último passo, o restante da água passou por um sistema de osmose reversa que tornou esta água potável, e pronta para consumo, numa produção de 15 l/h.

A promoção do evento ficou sob a responsabilidade da OZ Indústria de Equipamentos Geradores de Ozônio Ltda com apoio da PUCRS, TECNOPUC, LLBC, Diacqua, Conecte, JDMMARP, César Tecnología, PRESYS e FGPmaisL – Fórum Gaúcho de Produção mais Limpa.

Para que a instalação conceitual fosse realizada contamos com o patrocínio das empresas:
TRACTEBEL Energia S.A., ECOVIX – Engevix Construções Oceânicas S/A, CMPC Celulose Rio Grandense e SINDIQUIM.

Funcionamento do sistema no link: http://www.ozengenharia.com.br/eventos/

 

Crédito: Bruno Todeschini/PUCRS

 

O sócio diretor da OZ Engenharia teve seu perfil empreendedor publicado na InovaNews edição nº 4 – maio/junho de 2013, veículo de comunicação da Rede Inovapucrs, que traz notícias de inovação e empreendedorismo da Universidade, com periodicidade bimestral. Na matéria Fábio Rahmeier falou sobre a importância da multidisciplinaridade e do talento e das possibilidades do uso do ozônio como alternativa ecológica e econômica para as empresas.

Veja na íntegra a entrevista acessando o site da INOVAPUCRS.

Ozônio evita o mau cheiro em locais com manipulação de lixo.

A tecnologia limpa baseada na utilização do ozônio possui uma série de vantagens para diversas áreas, pois, o gás é um excelente oxidante e tem ação bactericida e fungicida sobre os microrganismos. O ozônio pode ser utilizado, por exemplo, para controle de odores em depósitos de lixo.

Muitos condomínios e empresas possuem locais apropriados para acondicionar seus lixos, para que sejam futuramente recolhidos pelas companhias de coleta, mas muitas vezes esse acúmulo de lixo gera odores desagradáveis tanto para os moradores/funcionários quanto para seus vizinhos.

O ozônio é uma solução limpa, barata e ecológica para eliminar o mau cheiro desses locais, pois é de fácil instalação e pode permanecer durante 24 horas no local eliminando totalmente qualquer odor desagradável. Os aparelhos desenvolvidos pela OZ Engenharia não saturam o ambiente pois produzem o gás em intervalos intermitentes deixando o local sem riscos de contaminação, afastando insetos, roedores e mantendo a qualidade do ar no ambiente.

Os locais onde o uso do equipamento se torna ainda mais eficiente e necessário são restaurantes, shopping centers, hospitais, indústrias com refeitórios, empresas de catering, condomínios, clubes, bares e todos os locais que trabalham com grandes acúmulos de lixo.

Para mais informações sobre nossos produtos nos ligue (51) 3339 0082, acesse nosso site ou nos encaminhe um e-mail: atendimento@ozengenharia.com.br  – temos locais comprovados de uso do nosso equipamento onde o mau cheiro e problemas ocasionados pelo lixo foram solucionados.

 

 

 

 

 

O que é uma alimentação consciente ?

A alimentação consciente tem relação direta com a forma de produção orgânica, com hábitos alimentares saudáveis e de consumo responsável. Busca mais do que uma alimentação isenta de aditivos químicos, pois procura observar técnicas de plantio sustentáveis, realçando o problema dos agrotóxicos, dos produtos transgênicos. Observa com atenção os rótulos de produtos industrializados, preocupa-se com a forma de conservação dos alimentos, enfatiza a importância da hora das refeições e da criatividade na elaboração do prato. Em suma, a alimentação consciente preocupa-se com o alimento desde sua produção até o momento de ser consumido.

O que é um alimento orgânico ?

Trata-se do alimento produzido em sistemas que não utilizam agrotóxicos (inseticidas, herbicidas, fungicidas, nematicidas) e outros insumos artificiais tóxicos (adubos químicos altamente solúveis), organismos geneticamente modificados – OGM / transgênicos ou radiações ionizantes. Esses elementos são excluídos do processo de produção, transformação, armazenamento e transporte, privilegiando a preservação da saúde do homem, dos animais e do meio ambiente, com respeito ao trabalho humano. Em 23 de dezembro de 2003 foi sancionada a Lei n. 10.831, que estabelece as normas de produção, embalagem, distribuição e rotulagem para os produtos orgânicos de origem animal e vegetal.

Quando podemos dizer que um produto alimentar é orgânico?

Considera-se produto da agricultura orgânica, seja in natura ou processado, todo aquele obtido através dos princípios e normas específicas da produção agropecuária ou industrial orgânica. Para um alimento processado ser considerado orgânico e receber o selo de qualidade, é preciso que contenha pelo menos 95% de ingredientes originados da agricultura orgânica.

Como saber se o produto é orgânico?

Existem instituições certificadoras e associações que são responsáveis pelo acompanhamento e fiscalização da produção. Cerca de 20 certificadoras atuam no Brasil.

Campanha do Ministério da Fazenda a Favor dos Orgânicos.

O que significa um alimento certificado?

A certificação é um processo de inspeção das propriedades agrí-colas, realizado com periodicidade que varia de dois a seis meses, para verificar se o alimento orgânico está sendo cultivado e processado de acordo com as normas de produção orgânica. O foco da inspeção não é o produto, mas a terra e o processo de produção. Assim, uma vez credenciada, a propriedade pode gerar vários produtos certificados, que irão receber um selo de qualidade.

Selo para identificar os produtos orgânicos.

Em que a preparação do alimento orgânico é diferente?

Produtos orgânicos processados devem respeitar as normas estabelecidas em lei. Por exemplo, para fazer um suco de uva orgânico, o transformador deve encontrar frutas que foram produzidas de forma orgânica e não utilizar nenhum tipo de corante ou conservante no processamento. Até mesmo o transporte deve ser separado do similar convencional.

Por que consumir orgânicos ?

Afinal, o que tem levado cada vez mais consumidores a aderirem ao consumo de produtos orgânicos? Pesquisas realizadas  em várias partes do mundo  apontam três motivos:

Saúde

A preocupação com a saúde é a principal motivação dos consumidores de produtos orgânicos. Eles aspiram a uma alimentação mais saudável, natural e equilibrada. Você sabia que durante a existência de uma pessoa (com média de 70 anos) transitam cerca de 25 toneladas de alimento pelo sistema digestivo. Mesmo que contaminados com teores baixos de agentes químicos, pode ocorrer alguma intoxicação em determinado período da vida. Um dos problemas no diagnóstico é que não existem sintomas característicos da epidemia de intoxicação subclínica por agrotóxico. Segundo Higashi, nenhum medicamento pode agir adequadamente em pacientes com acúmulo de agrotóxicos em seu organismo.

Meio ambiente

Pesquisa do IBOPE Opinião revela que os transgênicos não têm boa aceitação no Brasil. Enquanto existirem divergências entre os cientistas em relação a possíveis prejuízos à saúde e ao meio ambiente, 74% preferem não comer alimentos transgênicos, 92% dos brasileiros acreditam que a rotulagem deveria ser obrigatória e 73% são contra a liberação de variedades transgênicas em escala comercial.

Melhor sabor

Encontrar o gosto autêntico dos alimentos no sabor das frutas, dos legumes e nas carnes provenientes de animais criados soltos é uma preocupação constante. Além disso, os alimentos orgânicos são livres de antibióticos, hormônios de crescimento, sendo processados sem o uso de aromas artificiais, conservantes e corantes. Pesquisas de análise sensorial, comparando alimentos orgânicos e convencionais, mostraram superioridade do alimento orgânico, destacadamente em preparo ao vapor.

Como achar o seu orgânico ?

Com o objetivo de tornar os produtos orgânicos mais acessíveis aos consumidores e fomentar uma alimentação saudável, o Idec realiza o Mapa de Feiras Orgânicas. Basta digitar um endereço para encontrar todas as feiras especializadas e grupos de consumo responsável mais próximos de você, bem como informações de horários de funcionamento e tipos de produtos encontrados nesses locais.

Além disso, o mapa mostrará quais são as frutas, verduras e legumes da estação na sua região para que opte pelos produtos locais.

Clique para acessar o mapa

E se não for possível consumir orgânicos ?

Dê preferência à compra de frutas e verduras da época. Fora da estação adequada é quase certo que uma fruta, verdura ou legume tenha recebido cargas maiores de agrotóxicos. É por isso que, quando você não encontrar tomate, cebola ou outros produtos na feira orgânica, não está na época deles. Escolha outro produto que os substitua em termos nutricionais;

Como ainda são poucas as frutas produzidas organicamente, procure sempre descascar as frutas, em especial os pêssegos, pêras e maçãs. Alguns resíduos de agrotóxicos ficam depositados nas cascas;

Lave bem as frutas e verduras em água corrente e coloque-as numa solução de água com um pouco de vinagre (4 colheres para 1 litro). Esse procedimento pode reduzir uma pequena parte dos resíduos de agrotóxicos de contato, além de possíveis contaminações microbiológicas.

Como escolher alimentos com menos agrotóxicos ?

Folhosas (alface, almeirão, agrião, rúcula, couve manteiga, cheiro-verde). Apresentam ciclo curto e são os vegetais que recebem menor número de pulverizações com agrotóxicos.

Atenção: a alface, por ser consumida em grande escala e cultivada de forma intensiva, pode receber mais pulverizações, por isso prefira as orgânicas.

 

Plantas de raiz, bulbo, tuberosas (beterraba, cenoura, cebola, alho, batata).O seu ciclo de vida é intermediário e, dessa forma, recebem um número de pulverizações um pouco maior que as folhosas.

Atenção: A batata e a cebola são plantas que recebem cerca de 30 pulverizações com agrotóxicos durante o ciclo da cultura.

 

Plantas de frutos e legumes (tomate, pimentão, berinjela, pepino).São as mais delicadas para produzir, com ciclo mais longo, ficando mais sujeitas ao ataque de pragas e doenças.

Atenção: O tomate, um dos campeões de venda, também é campeão em resíduos; recebe entre 30 e 40 pulverizações com agrotóxicos durante o ciclo. Alternativa: O tomate cereja é uma espécie mais rústica, resistente a pragas e doenças. Você pode produzi-lo no seu próprio jardim.

 

• Frutas. Por terem o ciclo ainda mais longo, em geral, recebem um número maior de pulverizações. Entretanto, é possível selecionar frutas com menor possibilidade de contaminação por agrotóxicos:
Frutas com baixo risco de contaminação • abacate, acerola, banana, caqui, coco, jabuticaba, mexericas e tangerinas, kiwi, nêspera e outras frutas nativas (pitanga, fruta-do-conde, amora, carambola).
Frutas com médio risco de contaminação • manga, abacaxi, melancia, laranja, mamão formosa e maracujá.
Frutas com alto risco de contaminação • morango, maçã, uva, pêssego, mamão papaia, goiaba, figo, pera, melão e nectarina.

Vocabulário da saúde alimentar:

Veja Como Equilibrar Sua Alimentação

Alimentos funcionais • Também conhecidos como nutracêuticos, agem diretamente sobre as funções do organismo e, por isso, previnem doenças degenerativas, crônicas, cardiovasculares (infarto e derrame) e câncer. O tomate, por exemplo, é um desses alimentos. Devido à ação do licopeno, pode oferecer proteção contra o câncer de próstata. Para o alimento ter atuação benéfica e de forma plena, sugere-se que seja produzido organicamente, no intuito de minimizar possíveis resíduos
químicos indesejáveis.

Alimentos naturais • Provêm de fontes originais da natureza. Não são produzidos em laboratórios, não possuem sabores e corantes artificiais de frutas, verduras, leite ou outros alimentos. Entretanto, um alimento natural pode ser produzido com agrotóxico.

Alimentos orgânicos • Produzidos num sistema isento de contaminantes que ponham em risco a saúde do consumidor, do
agricultor e do meio ambiente.

Alimentos integrais • Mantêm, ao serem consumidos, todos os integrantes nutricionais básicos. Exemplo: a farinha de trigo integral gera um produto com a totalidade dos ingredientes básicos para um pão nutritivo. Entretanto, normalmente o trigo utilizado é produzido no sistema convencional. Dessa forma, um alimento integral produzido organicamente seria o ideal para o consumo.

Alimentos diet • Modificados para atender à determinada finalidade: sem açúcar para o diabético, sem gordura para os que necessitam de baixa ingestão de gorduras e sem sal para hipertensos. Esse tipo de alimento não necessita ter redução calórica. Por esse motivo, se um alimento contiver a quantidade de açúcar, sódio, colesterol, aminoácidos ou proteínas abaixo do limite estabelecido em legislação, pode ser classificado comercialmente como diet. Basta que apenas um desses componentes esteja abaixo do limite. Assim, um alimento que não contém açúcar, mas que apresenta grande quantidade de gorduras é considerado diet, mesmo tendo uma quantidade de calorias semelhante ao seu similar não diet(em função da grande quantidade de gorduras).

Alimentos light • Abrandados ou diminuídos em um ou mais de seus nutrientes. Têm redução calórica de no mínimo 25% em relação ao seu similar.

Quer saber o que a OZ Engenharia faz para ajudar o meio ambiente ? Acesse uma matéria explicando nossos principais produtos.

Fonte: IAPAR

Você sabe o que significa o símbolo abaixo, presente nos alimentos que você compra?

Este símbolo é do Alimento Geneticamente Modificado

Alimentos Geneticamente Modificados: são alimentos criados em laboratórios com a utilização de genes (parte do código genético) de espécies diferentes de animais, vegetais ou micróbios. Os OGM sofreram alteração no seu código genético por métodos ou meios que não ocorrem naturalmente, mas sim através da Engenharia Genética.

Engenharia Genética: ciência responsável pela manipulação das informações contidas no código genético, que comanda todas as funções da célula. Esse código é retirado da célula viva e manipulado fora dela, modificando a sua estrutura (modificações genéticas).

Com o aprimoramento e desenvolvimento das técnicas de obtenção de organismos geneticamente modificados e o aumento da sua utilização, surgiram então, dois novos termos para o nosso vocabulário: biotecnologia e biossegurança.

Biotecnologia é o processo tecnológico que permite a utilização de material biológico para fins industriais.

A biossegurança é a ciência responsável por controlar e minimizar os riscos da utilização de diferentes tecnologias em laboratórios ou quando aplicadas ao meio ambiente.

Pontos positivos dos alimentos transgênicos

– Aumento da produção de alimentos;
– Melhoria do conteúdo nutricional, desenvolvimento de nutricênicos (alimentos que teriam fins terapêuticos);
– Maior resistência e durabilidade na estocagem e armazenamento.

Pontos negativos dos alimentos transgênicos

– Aumento das reações alérgicas;
– As plantas que não sofreram modificação genética podem ser eliminadas pelo processo de seleção natural, pois, as transgênicas possuem maior resistência às pragas e pesticidas;
– Aumento da resistência aos pesticidas e gerando maior consumo deste tipo de produto;
– Apesar de eliminar pragas prejudiciais à plantação, o cultivo de plantas transgênicas pode, também, matar populações benéficas como abelhas, minhocas e outros animais e espécies de plantas.

Número de países com OGM está aumentando

Desde o final da década de 70, pesquisadores do mundo inteiro aprenderam a transferir genes de um organismo para outro, seja ele animal ou vegetal, alterando suas características naturais. Com isso, tornaram possível criar porcos com menos gordura na carne, plantar feijão com mais proteína nos grãos ou soja resistente a herbicidas. O lançamento da soja transgênica no mercado aquece a polêmica sobre a biotecnologia em 1999. Essa planta tem em suas células um gene que não faz parte do organismo de nenhum vegetal. Retirado de uma bactéria, a agrobacterium, ele controla a fabricação de uma proteína, conhecida pela sigla EPSPS, que bloqueia a ação dos herbicidas. Isso permite eliminar o mato sem risco de prejudicar a planta cultivada.

Riscos ainda sobre avaliação

Os críticos dos alimentos geneticamente alterados dizem que a ciência não tem controle total sobre o funcionamento dos genes. Para eles, as pesquisas devem ser aprofundadas antes que os novos produtos sejam liberados. No caso da soja modificada, existe o temor de que a substância EPSPS provoque efeitos inesperados no organismo dos consumidores, como alergias ou outro tipo de doença. Mesmo que o gene tenha sido preparado em laboratório para funcionar apenas nas folhas, e não nos grãos – a parte comestível da planta –, não há como garantir que eles atuarão da forma programada. Os transgênicos não se sairam bem com testes em cobaias (ratos) de laboratório. Os ratos tiveram tumores e outras complicações ao consumirem MILHO TRANSGÊNICOS.

Algodão geneticamente modificado alterando a cor do branco para alaranjado

Além da aplicação da biotecnologia pela indústria alimentícia, plantas e animais vêm sendo alterados para outras finalidades, como a produção de tecidos. Uma das mais recentes novidades desse campo, lançada em 1999 nos EUA, é um algodão que nasce colorido – verde, vermelho ou amarelo –, conforme o interesse do produtor. Outra linha de pesquisa avançada é a da modificação de organismos para a produção de medicamentos. Na Escócia, o Instituto Roslin – o mesmo que fez a clonagem da ovelha Dolly – cria carneiros em cujo leite é gerada uma droga que estimula a coagulação do sangue. Chamada de Fator IX, ela deverá ser empregada no combate à hemofilia.

Diante de todas as discussões a cerca dos transgênicos, como o consumidor identificará nos supermercados o alimento transgênico. Os rótulos abaixo exemplificam itens importantes que podem auxiliar o consumidor nessa identificação.
São eles:
  1. Presença do símbolo de Transgênicos no painel principal. Representado pelo triângulo eqüilátero amarelo, com a letra T dentro.
  2. Caso a embalagem não seja colorida o triângulo pode ser preto impresso sobre fundo branco.
  3. Presença da frase “Produto produzido a partir de soja transgênica” ou “Soja transgênica” e “Contém soja transgênica”.
  4. Presença do nome da espécie doadora do gene no local reservado para a identificação dos ingredientes.
Atualmente, os produtos transgênicos mais comuns são feitos de soja, milho ou batata, e há alguns alimentos que não indicam nas embalagens que são transgênicos. Na dúvida, consulte o  SAC da empresa para confirmar.

Dia da Terra 2013 – ou, oficialmente, Dia Internacional da Mãe Terra – é uma data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2009 para marcar a responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza e a Terra e alcançar um balanço entre economia, sociedade e ambiente.

“O Dia Internacional da Mãe Terra é uma chance de reafirmar nossa responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza em um tempo em que nosso planeta está sob ameaça da mudança climática, exploração insustentável dos recursos naturais e outros problemas causados pelo homem. Quando nós ameaçamos nosso planeta, minamos nossa própria casa – e nossa sobrevivência no futuro”, diz mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Contudo, a história dessa comemoração é bem mais antiga. O primeiro Dia Nacional da Terra ocorreu em meio ao movimento hippie americano, em 1970. Se por um lado a música e os jovens eram engajados, de outro os americanos viviam com seus carros com motor V8 e a indústria despejando produtos poluidores com pouco medo de represálias legais.

A ideia de uma data para marcar a luta pelo ambiente veio do senador Gaylord Nelson, após este ver a destruição causada por um grande vazamento de óleo na Califórnia, em 1969. Ele recebeu o apoio do congressista republicano conservador Pete McCloskey e recrutou o estudante de Harvard Denis Hayes como coordenador da campanha.

No dia 22 de abril, 20 milhões de pessoas nos Estados Unidos saíram às ruas para protestar em favor de um planeta mais saudável e sustentável. Milhares de escolas e universidades organizaram manifestações contra a deterioração do ambiente e engrossaram os grupos ambientalistas. Foi um raro momento que juntou até mesmo democratas e republicanos.
O resultado prático foi a criação da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos e dos atos do Ar Limpo, Água Limpa e das Espécies Ameaçadas. “Foi uma aposta”, lembra o senador, “mas funcionou.”

Veja aqui fotos incríveis do nosso planeta.

Fonte: Site Terra 

 

Todos os dias nosso planeta sofre inúmeros impactos ambientais, que ajudam na deterioração da nossa fauna e flora, mas você sabe quais são os impactos que mais causam danos ? Abaixo listo os principais de acordo com trabalho feito para o site adorofisica, um resumo que pode nos ajudar a entender e até mesmo resumir esses danos.

Poluição do ar

fumaça no ar

O ar puro é formado por nitrogênio (N2), oxigênio (O2), gás carbônico (CO2), hidrogênio (H2), argônio e vapor de água. Esses componentes estão em equilíbrio em diferentes proporções, conforme a região da terra.

Esse equilíbrio é constantemente ameaçado por agressões como a queima de petróleo e do carvão mineral, que aumenta a quantidade de COe óxidos de nitrogênio (NOX) e de enxofre (SOX) no ar.

O enxofre e o nitrogênio reagem com o vapor da água e voltam a terra na forma de chuvas ácidas, destruindo florestas e plantações. O CO2 é o principal responsável pelo efeito estufa.

Fumaças de fábricas, spray, pós e gases são poluentes tóxicos do ar. Eles prejudicam o ambiente e a nossa saúde. Respirar ar poluído aumenta o risco de problemas respiratórios (como bronquite e enfisema) e desordens reprodutivas.

O monóxido de carbono (CO), gerado pela combustão incompleta em caldeiras, motores ou aquecedores domésticos a gás é bastante tóxico. A principal fonte de CO são veículos a gasolina, principalmente carros sem injeção eletrônica e sem catalisador de gases no escapamento.

Efeito Estufa

quadro van gogh

O quadro Noite Estrelada, pintado por Van Gogh aos 37 anos, enquanto esteve em um asilo em Saint-Rémy-de-Provence (1889-1890), ilustra perfeitamente o efeito estufa na nossa atmosfera, onde gases (principalmente o CO2) e partículas, acumuladas nas camadas superiores da atmosfera, formam uma cobertura que impede a dispersão natural dos raios solares refletidos pela superfície da Terra. O calor irradiado pela Terra fica retido na atmosfera e provoca um superaquecimento (aquecimento global).

Esse aquecimento pode ser catastrófico. Pode derreter geleiras e, com isso, elevar o nível dos mares, provocando a lenta inundação das regiões litorâneas do planeta.

O Protocolo de Kyoto, o único dispositivo legal existente que obriga países desenvolvidos a reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa veio como uma solução para a diminuição desses gases, só que nos últimos anos está enfraquecido devido a inúmeras desistências de países importantes como Estados Unidos e China que juntos são responsáveis por 40% das emissões de gases poluentes.

Buraco de Ozônio

O ozônio (O3) existe naturalmente nas camadas superiores da atmosfera. Ele filtra os raios solares ultravioletas, diminuindo sua incidência sobre a superfície terrestre. Essa proteção do ozônio é destruída por compostos químicos presentes em spray (pintura a pistola, tintas, inseticidas, desodorantes e perfumes), gases de geladeira, etc. Em regiões onde há buraco na camada de ozônio, aumentam a incidência de câncer de pele. Por isso, o uso de organoclorados em spray (clorofluorbenseno) e outras finalidades está proibido nos países com legislação ambiental mais avançada.

Smog

É a névoa cinzenta, que torna o céu cinza e reduz a visibilidade na cidade. O fenômeno, comum no inverno, é produzido por uma reação química entre a irradiação solar, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio. Os produtos químicos são liberados pelos veículos automotivos e outras fontes industriais. O fenômeno acontece quando há uma inversão térmica que mantém as substancias em baixa altitude. A inversão térmica (ar quente, seco e sem ventos) funciona como um tampão, concentrando os poluentes do ar no nível próximo do solo, onde respiramos. Assim, provoca irritação nos olhos, dor de cabeça e problemas respiratórios, como pressão no peito, abafamento e falta de ar. Ocorre em grandes cidades industriais como São Paulo.

Poluição da Água e Ar

Os resíduos gerados pela industria, cidades e atividades agrícolas são sólidos ou líquidos, tendo um potencial de poluição muito grande. Os resíduos gerados pelas cidades, como lixo, entulhos e produtos tóxicos são carregados para rios com ajuda das chuvas. As industrias produzem grande quantidade de resíduos em seus processos, sendo uma parte retida pelas instalações de tratamento da própria industria, que retêm tanto resíduos líquidos quanto sólidos, e a outra parte despejada no ambiente. As cidades podem ser ainda poluídas pelas enxurradas, pelo lixo e pelo esgoto.

A poluição das águas pode aparecer de vários modos, incluindo a poluição térmica, que é a descarga de efluentes a altas temperaturas, poluição física, que é a descarga de material em suspensão, poluição biológica, que é a descarga de bactérias patogênicas e vírus, e poluição química, que pode ocorrer por deficiência de oxigênio, toxidez e eutrofização.

Para encontrar um novo equilíbrio ecológico e lutar contra os animais e plantas prejudiciais, começaram-se as utilizações, já há bastante anos, certos produtos químicos cujo numero e eficácia não parou de aumentar. Entre esses produtos destacam-se pesticidas (fungicidas e inseticidas) e herbicidas. Mas, lançamento de quantidades maciças de pesticidas e herbicidas, além de matar os “indesejáveis”, destrói muitos seres vivos que interferem na construção do solo, impedindo deste modo sua regeneração.

Os produtos tóxicos, acumulando-se nos solos, podem permanecer ativos durante longos anos. As plantas cultivadas nestes terrenos infectados podem absorve-los ainda mesmo quando estes na foram utilizados para o seu próprio tratamento.

Assim se explica a existência de pesticidas em alimentos como o leite e a carne, acabando a sua acumulação por se dar fundamentalmente no homem, que se encontra no fim das cadeias alimentares.

 

Pesquisar
Divulgação
Calendário
outubro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Site OZ Engenharia
Águas Limpas
Google +1
Categorias