Posts com a Tag ‘leite materno’

Campanha Quer Acabar Com Veneno Na Lavoura

 

Para alertar a população sobre os riscos que os agrotóxicos presentes nos alimentos e acabar com seu uso no País, um conjunto de organizações criou a Campanha contra os agrotóxicos e pela vida.

A iniciativa valoriza a agroecologia (produção com recursos naturais) ao invés dos agrotóxicos e transgênicos e denuncia os efeitos prejudiciais à saúde (tanto dos trabalhadores rurais como dos consumidores nas cidades) e ao meio ambiente (contaminação dos solos e das águas).

A campanha quer responsabilizar as empresas que produzem e comercializam agrotóxicos, criar formas de restringir o uso de venenos e de impedir sua expansão, propondo projetos de lei, portarias e outras iniciativas legais.

O Brasil é o primeiro país no mundo que regulamentou o tratamento dos resíduos líquidos de agrotóxicos utilizados na pulverização das lavouras.

A Instrução Normativa 02 de 03/01/2008 do MAPA é exigida para aviação agrícola em todo território nacional, porém não abrange os tratores de pulverização terrestres, que devem ser licenciados por cada Estado, e representam 90% da pulverização de agrotóxicos.  O Estado do Mato Grosso instituiu o mesmo modelo de pátio de descontaminação da aviação agrícola para os tratores (Decreto 2.283 de 09/12/2009), porém, a alta demanda de licenciamentos e a falta de fiscalização suspenderam a exigência do pátio (ofício 2475/2011 do INDEA-MT), mantendo a antiga prática poluidora de despejo dos resíduos diretamente no meio ambiente.

O sistema de tratamento é muito simples e basicamente exige o recolhimento, oxidação e contenção dos resíduos líquidos dos pesticidas.

A suspensão da exigência da construção do pátio de descontaminação e o despejo direto dos resíduos de agrotóxicos no solo, geram um passivo ambiental e contaminação dos lençóis freáticos. Por se tratar de uma água pura, não existe capacidade de degradação destes poluentes, sendo sua remediação quase impossível.

Uma pesquisa em Lucas do Rio Verde – MT em 2011 apontou que 85% das mulheres apresentaram no leite materno pelo menos seis tipos de agrotóxicos e pelo menos um tipo em 100% delas. (Pignati, 2011).

Estudos apontam residual de pesticidas na água da chuva e água potável (Schreiber, 2012) e podem estar relacionados ao sumiço de abelhas em diversas regiões.

Recentemente o IBAMA (DOU 139 – 19/07/12) restringiu os inseticidas para pulverização aérea, porém também deve ser revista a utilização em tratores de pulverização terrestre.

A OZ Engenharia desenvolve desde o início das pesquisas o  Degradatox, aparelho gerador de ozônio que serviu de teste para a implementação do sistema que regulamentou o tratamento dos pátios. O ozônio quando utilizado no tratamento de resíduos tem excelentes resultados com tecnologia limpa e eficaz no tratamento de agrotóxicos, sendo o ozônio o mais indicado para essa finalidade.

Tabela de alimentos e percentual de agrotóxicos:

Mais de um milhão de toneladas de venenos foram jogados nas lavouras somente em 2010, segundo dados do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Agrícola.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), na última safra foram comercializados mais de sete bilhões de dólares de agrotóxicos. Todo este mercado está concentrado em grandes empresas transnacionais, que controlam mais de 80% do mercado de veneno.

Os ingredientes ativos presentes nos agrotóxicos podem causar esterilidade masculina, formação de cataratas, evidências de mutagenicidade, reações alérgicas, distúrbios neurológicos, respiratórios, cardíacos, pulmonares, no sistema imunológico e no sistema endócrino, ou seja, na produção de hormônios, desenvolvimento de câncer, dentre outros agravos à saúde.

Mais informações acesse o site: http://www.contraosagrotoxicos.org.

Informações sobre o Degradatox clique aqui.

Vídeo com informações sobre o uso de agrotóxicos no Brasil:

 

 

 

De 29 de setembro a 06 de outubro de 2012, acontece a 19ª Semana Interamericana e 12ª Semana Estadual da Água, com realização da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES-RS, em parceria com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente do RS – SEMA. O tema dessa edição é “Para onde vai a água que usamos?” com o objetivo de alertar sobre as conseqüências do mau gerenciamento dos resíduos líquidos.

A programação, com foco em ações ligadas a preservação da água tem a participação de mais de 800 entidades. As empresas parceiras realizarão atividades em todo o Estado do Rio Grande do Sul mobilizando cerca de 1,5 milhões de pessoas.

A OZ Engenharia participa do evento há cinco anos, e nesta edição, em parceria com a Secretaria Executiva do Fórum Gaúcho de Produção mais Limpa / SEMA, realizará um ciclo de palestras sobre a contaminação das águas, os impactos na saúde e meio ambiente, e o uso do ozônio como alternativa no combate à contaminação com agrotóxicos, sob o título O USO DO OZÔNIO NO COMBATE À CONTAMINAÇÃO DAS ÁGUAS COM AGROTÓXICOS.

O evento acontecerá no dia 04/10, no TECNOPUC, localizado na PUCRS. As inscrições para assistir às palestras são gratuitas e já podem ser realizadas no site http://www.ozengenharia.com.br/eventos/.

 

Cartaz de Divulgação. Clique na imagem para vê-la ampliada.

PROGRAMAÇÃO

13h00min às 13h30minCredenciamento

13h30min às 14h15min: Palestra: Ocorrência de agrotóxicos na água potável e de chuva – Me. Fabio Schreiber, Engº Agrônomo e Pesquisador em fitosanidade, UFPel, Pelotas/RS.

14h15min às 15h00min: Palestra:Impactos dos agrotóxicos na saúde e meio ambiente – Dra. Nádia Spada Fiori, professora e pesquisadora do Depto de Medicina Social da UFPEL – Pelotas/RS.

15h00min às 15h45min: Palestra: Vantagens do ozônio no tratamento de efluentes contendo agrotóxicos – Me. Ricardo Furtado, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, Porto Alegre/RS.

15h45min às 17h00min: Mesa Redonda: Os impactos pelo uso dos agrotóxicos e as novas perspectivas nas políticas públicas
– Dr. Márcio Rosa Rodrigues de Freitas, Coordenador Geral de Avaliação e Controle de Substâncias Químicas – Cgasq e Diretor de Qualidade Ambiental Substituto do IBAMA, Brasília/DF;
– Dra. Tatiane Nardotto, Assessoria Jurídica Parlamentar do Senador Blairo Maggi, Senado Federal, Brasília/DF;
– Me. Cíntia Barenho, Assessora Técnica Ambiental da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS;

17h00min às 17h30min: Café de Confraternização

 

SERVIÇO:

Data: 04/10/2012
Horário: 13h00min às 17h30min
Local: Auditório Talento empreendedor do TECNOPUC – PUCRS – [Prédio 96 – I] – Porto Alegre-RS
Realização: OZ Indústria de Equipamentos Geradores de Ozônio.
Patrocínio: SINDIQUIM-RS
Apoio: ABES-RS, TECNOPUC-RS, Conecte Ambiental, FUPEF, UFPR e MAPA.
Informações: (51) 3339 0082
Inscrições Gratuitas: http://www.ozengenharia.com.br/eventos/
 
 
Pesquisar
Divulgação
Calendário
setembro 2019
S T Q Q S S D
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Site OZ Engenharia
Águas Limpas
Google +1
Categorias