Posts com a Tag ‘Florestas’

Dia da Terra 2013 – ou, oficialmente, Dia Internacional da Mãe Terra – é uma data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2009 para marcar a responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza e a Terra e alcançar um balanço entre economia, sociedade e ambiente.

“O Dia Internacional da Mãe Terra é uma chance de reafirmar nossa responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza em um tempo em que nosso planeta está sob ameaça da mudança climática, exploração insustentável dos recursos naturais e outros problemas causados pelo homem. Quando nós ameaçamos nosso planeta, minamos nossa própria casa – e nossa sobrevivência no futuro”, diz mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Contudo, a história dessa comemoração é bem mais antiga. O primeiro Dia Nacional da Terra ocorreu em meio ao movimento hippie americano, em 1970. Se por um lado a música e os jovens eram engajados, de outro os americanos viviam com seus carros com motor V8 e a indústria despejando produtos poluidores com pouco medo de represálias legais.

A ideia de uma data para marcar a luta pelo ambiente veio do senador Gaylord Nelson, após este ver a destruição causada por um grande vazamento de óleo na Califórnia, em 1969. Ele recebeu o apoio do congressista republicano conservador Pete McCloskey e recrutou o estudante de Harvard Denis Hayes como coordenador da campanha.

No dia 22 de abril, 20 milhões de pessoas nos Estados Unidos saíram às ruas para protestar em favor de um planeta mais saudável e sustentável. Milhares de escolas e universidades organizaram manifestações contra a deterioração do ambiente e engrossaram os grupos ambientalistas. Foi um raro momento que juntou até mesmo democratas e republicanos.
O resultado prático foi a criação da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos e dos atos do Ar Limpo, Água Limpa e das Espécies Ameaçadas. “Foi uma aposta”, lembra o senador, “mas funcionou.”

Veja aqui fotos incríveis do nosso planeta.

Fonte: Site Terra 

 

A modelo Gisele Bündchen está sempre engajada em  causas que promovam a preservação da natureza. Hoje ela é embaixadora da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Agora ela está em mais uma ação de conscientização, e desta vez, focando o público infantil.

Começa a ser exibido no Brasil em setembro, o desenho animado “Gisele e a Equipe Verde”, no canal pago de TV Cartoon Network. A série de desenhos será transmitida no Espaço Cartoon, parte da programação do canal dedicada à responsabilidade social.

Serão 26 episódios. Neles, Gisele é uma super heroína e trabalha ao lado de quatro outras meninas, Sophie, Keisha, Woo Li e Alex. O grupo é modelo durante o dia e defensor da natureza à noite (e em alguns episódios, durante o dia também).

Independente da qualidade da animação, e do fato de a voz da personagem não ser dublada pela modelo, o que conta é a mensagem. Atitudes como esta, partindo de pessoas com a projeção da modelo brasileira são sempre bem vindas.

Os três primeiros episódios serão transmitidos no dia 4 de setembro, das 8h30 às 10h30.

No link abaixo você pode conferir uma prévia do desenho. (em inglês)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ePZXsnk-sNU

Mais do que comemorar o “Dia Mundial do Rock” nesse 13 de julho, temos que lembrar a atitude e a originalidade inerente aos apreciadores do ritmo. E na era da Sustentabilidade, nada melhor do que voltar toda essa energia em ações de preservação do Meio Ambiente.

O Movimento EcoRockalismo surgiu em 2010, considerado pela ONU como o Ano da Biodiversidade, e segue em ritmo acelerado pela Década da Biodiversidade, até 2020. Une a contestação do rock com a preservação e uso inteligente dos recursos naturais do planeta. O EcoRockalista não considera chatas as conversas sobre meio ambiente. O que ele acha chato é ser ignorante.

O desmatamento anual de milhões de hectares de florestas no mundo segue um ritmo preocupante. No EcoRockalismo, artistas e plateia são um grupo só. Não é um movimento apenas de ideias, mas também – e principalmente – de pessoas que dialogam e fazem.

David Byrne ressalta, no livro Diários de Bicicleta: quanto mais microscópico for o seu olhar, mais ampla se torna a sua perspectiva. O EcoRockalismo segue a deixa e complementa: quando mais local for a sua ação, mais global será seu impacto.

Os EcoRockalistas sabem diferenciar um clichê de algo importante. Mais do que proteger as espécies, o biomas, as florestas, os recursos não-renováveis, os ecorockalistas vão provar que o pensamento é renovável.

O MUDAROCK é a primeira ação do Movimento ECOROCKALISMO. A ação espera alcançar a meta de plantar 1.000.000 de árvores nativas do Brasil, em apoio à iniciativa “Plantemos para o Planeta: Campanha Bilhões de Árvores” promovida pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). A campanha encoraja o plantio de árvores nativas e árvores que são apropriadas para o meio ambiente local.

O projeto irá disponibilizar em seu site, em 6 fases, videoclipes de vários artistas tocando clássicos do rock e do pop nacional. Esse material poderá ser baixado pelos usuários. A cada download o MudaRock plantará uma árvore.

Saiba mais no site do MudaRock

Através de medidas como integração Lavoura-Pecuária-Floresta e fixação biológica do nitrogênio, produtores podem minimizar impactos ambientais.


A redução da emissão dos gases estufa no meio rural é o principal objetivo do Programa ABC, que é um dos temas que serão abordados no Fórum Contexto Ambiental & Agronegócio, organizado pelo Portal Dia de Campo, no dia 30 de junho, em Uberlândia (MG). Segundo Derli Dossa, Chefe da Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Coordenador do Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), esse é um programa do Governo Federal que tem sua origem histórica na reunião de Kopenhagen em 2009 (a COP 15) onde, a presidenta Dilma Roussef, na época ministra da Casa Civil, colocou oficialmente em discussão ações que deveriam ser feitas no Brasil com o objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa e assumiu compromissos para atingir as metas propostas.

— Segundo o Programa ABC, o governo brasileiro deverá desenvolver 12 ações. Entre elas, está uma linha de ação que envolve tecnologias dentro da agricultura. A agricultura é importante na participação em emissão de gases de efeito estufa. O Brasil participa do contexto global como o 14º país emissor. No caso da agricultura, iniciamos um trabalho juntamente com o Ministério de Desenvolvimento Agrário, Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Casa Civil, instituições não governamentais, conhecidas como ONGs, enfim, toda a sociedade de uma forma direta ou indireta contribui para o desenvolvimento da agricultura brasileira — afirma Dossa.

Nesse sentido, ele explica que foram montados seis subprogramas que têm como objetivo suavizar as ações do efeito estufa no curto prazo.

1) Recuperação de áreas degradadas: Onde se fixou uma meta de 15 milhões de hectares recuperados para os próximos 10 anos.

2) Estimular a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF): Em uma área de 4 milhões de hectares, pode-se produzir alimentos, plantar florestas com o nascimento das pastagens na sequência e introduzir a pecuária de corte ou a pecuária de leiteira. Com isso, o produtor rural produz alimentos, fibras e carnes.

3) Plantio de florestas: Todos nós sabemos que a produção de florestas, principalmente eucaliptos e pinos, tem uma grande capacidade de desenvolvimento e captura de CO2 da atmosfera. São 3 milhões de hectares que estarão envolvidos nos próximos 10 anos, onde estão envolvidas também as empresas de celulose de papel — explica Dossa.

4) Plantio direto na palha: De acordo com Dossa, o Brasil tem hoje 27 milhões de hectares em andamento no plantio direto e teria condições de aumentar em 8 milhões de hectares a área de produção neste sistema conservacionista, o que faria com que as emissões de gases de efeito estufa fossem reduzidas, já que o plantio direto não faz o revolvimento do solo (que libera gases estufa).

5) Fixação biológica do nitrogênio: Essa fixação acontece através de uma bactéria que fica nodulada nas raízes das plantas, principalmente leguminosas, e tem a capacidade de tirar esse elemento da atmosfera, diminuindo o uso de nitrogênio fóssil, que é um grande emissor de gás carbônico.

6) Utilização dos resíduos de animais, principalmente suínos e bovinos, para compostagem

Para mais informações sobre o Programa ABC, basta entrar em contato com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento através do número 0800-704-1995.

Fonte: Portal Dia de Campo

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), declarou 2011, oficialmente, o Ano Internacional das Florestas. O tema da celebração é “Florestas para o Povo”. Essa escolha tem o objetivo de sensibilizar a sociedade sobre a importância da preservação das florestas para uma vida sustentável no planeta.

A intenção é promover ações que incentivem a conservação e a gestão sustentável de todos os tipos de floresta do planeta, mostrando à população mundial que a exploração das matas sem um manejo sustentável pode causar uma série de prejuízos, como a perda da biodiversidade, o agravamento das mudanças climáticas, migrações desordenadas para áreas urbanas e o crescimento da caça e do desmatamento ilegal.

Segundo dados do Pnuma – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, as florestas representam 31% da cobertura terrestre do planeta, servindo de abrigo para 300 milhões de pessoas de todo o mundo e, ainda, garantindo, de forma direta, a sobrevivência de 1,6 bilhões de seres humanos e 80% da biodiversidade terrestre. Em pé, as florestas são capazes de movimentar cerca de $ 327 bilhões todos os anos, mas infelizmente as atividades que se baseiam na derrubada das matas ainda são bastante comuns em todo o mundo.
A exploração predatória e o desrespeito ao ciclo de vida natural das florestas têm como consequência a ameaça da sustentabilidade econômica, das relações sociais e da vida humana no planeta. Isso acontece porque as floretas são a fonte, entre outros, de água potável e alimentos. Por outro lado, fornecem também matérias primas para indústrias essenciais como a farmacêutica e da construção civil, além de desempenhar um papel vital na manutenção da estabilidade do clima e do meio ambiente globais.

Para saber mais a respeito dos eventos que serão realizados durante 2011, em homenagem ao Ano Internacional das Florestas, acesse o site oficial da iniciativa (em inglês). No portal, ainda é possível divulgar as ações que você pretende promover durante este ano em homenagem à causa.

E você, realiza alguma ação que ajuda na preservação das florestas?

Fontes: Site Instituto Akatu e Site Planeta Sustentável.
Pesquisar
Divulgação
Calendário
dezembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Site OZ Engenharia
Águas Limpas
Google +1
Categorias