As vésperas da votação do novo Código Florestal, aconteceu na última sexta-feira, em Porto Alegre/RS, o 1º Seminário Estadual sobre o Pagamento de Serviços Ambientais. A OZ Engenharia foi lá conferir.

Comissão Especial sobre o Pagamento de Serviços Ambientais - Foto Marcelo Bertani | Agência ALRS

A implementação de políticas compensatórias voltadas a promoção de ações de proteção dos recursos naturais por parte do setor produtivo rural foi o tema central do seminário realizado nesta sexta-feira (2), no Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa. O encontro marcou a conclusão dos trabalhos da Comissão Especial de Pagamentos de Serviços Ambientais (CEPSA). Participaram representantes de órgãos governamentais, entidades do terceiro e parlamentares.

Um dos destaques do seminário, foi a explanação da  coordenadora do Programa de Sustentabilidade da Fundação Henrich Boell no Brasil, Camila Moreno, que tratou do tema da Sustentabilidade e Redução de Emissões pelo Desmatamento e Degradação evitados (REDD). Ela salientou que a REDD é um mecanismo introduzido nas negociações internacionais sobre mudanças climáticas. “O REDD é um pagamento por serviços ambientais entre países. Se os países ricos e desenvolvidos investirem em pagar para que os países em desenvolvimento ou detentores de floresta evitem o desmatamento seria a forma mais rápida e barata de reduzir as emissões relacionadas ao aquecimento global e às mudanças climáticas”, avaliou.

O relatório da CEPSA será apresentado na próxima semana. A comissão aponta que a adoção de medidas compensatórias podem incentivar boas práticas. Entres as referências observadas está a implantação do PSA em Nova York. A cidade americana implantou um imenso programa, que levou 20 anos para ser construído, que leva conhecimento aos agricultores para que preservem as suas propriedades, ganhem dinheiro e, ao mesmo tempo, forneçam água de boa qualidade aos novaiorquinos. Integrantes da comissão conheceram a iniciativa no início de fevereiro. O relato da experiência estará presente no relatório da comissão.

Fonte: Agência de Notícias ALRS